Siga-nos nas redes sociais!

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

AGENDA DE EVENTOS

ENTREVISTAS DE EMPREGO

Muitas pessoas têm dúvidas de como se preparar para uma entrevista de emprego. Foi com esse intuito que o Vamos Subir Trilhas preparou algumas dicas para você mandar bem na entrevista, confira a seguir:  

 

PREPARE-SE ANTES DA ENTREVISTA

 

Conhecer a empresa em que você vai fazer a entrevista é muito importante. Entre no site deles, conheça sua história (como a empresa está inserida no mercado, seus projetos, etc.), saiba um pouco sobre a área em que você vai atuar e, se possível, conheça seu entrevistador (você pode acessar o perfil dele(a) no LinkedIn 😊). De acordo com o Flavio Valiati, fundador do Vamos Subir e Account Executive da Zendesk você "deve fazer sua pesquisa sobre o entrevistador. Hoje temos inúmeras ferramentas como Linkedin, Facebook e Instagram que te ajudam a conhecer melhor o entrevistador e te ajudam a se preparar melhor para entrevista conhecendo (antes da entrevista) seu histórico profissional e informações que vão te ajudar a encontrar interesses do entrevistador e pontos em comum entre vocês. Use isso a seu favor. Pessoas que mostram que fizeram seu dever de casa tendem a avançar para as próximas fases." 

“Primeira coisa, vá buscar informações da empresa que você está entrando, o que ela faz [...], por que seria bacana para você”, comente Tatiana Sereno. Ela complementa dizendo que precisamos manter a calma e pensar em “Qual é a mensagem que você quer passar?” Acompanhe a entrevista abaixo:

Saber o local da entrevista e quanto tempo levará para chegar é algo fundamental. Chegue sempre de 15 a 20 minutos antes do horário estabelecido. Treine um pouco do que você falará para que não fique nervoso e para que consiga se comunicar. Estruture em sua mente como seria a resposta para algumas das perguntas do entrevistador. Existem perguntas padrão que todo entrevistador gostam de fazer como:

  • Por que você se interessa em trabalhar na empresa?

  • Quais são seus pontos fortes e fracos?

  • Do que você mais se orgulha? Quais são suas maiores conquistas?

  • Onde quer estar em 5 anos?

  • O que você gosta de fazer fora do trabalho? Quais são seus hobbies?

  • Quais são suas paixões?

  • Qual é sua maior realização pessoal?

  • O que te faz infeliz?

  • O que te irrita no trabalho?

  • Quem você mais admira e porquê?

  • Porque você quer deixar sua empresa atual?

  • Que perguntas você tem para mim?

Ao elaborar essas respostas, procure estruturá-las em sua mente, pode ser que o entrevistador não faça todas elas, mas quando você tem esse sketch em sua mente as respostas grifadas fluirão de maneira natural e você não estará muito nervoso.

Caso você esteja começando no mercado de trabalho e não tem muita experiência, comente sobre projetos que você já participou na faculdade, projetos em ONGs. Essas experiência agregam bastante valor ao seu perfil e também são bem vistos pelos entrevistadores. Não esqueça de falar sobre o que você quer para sua carreira profissional, sempre focando na vaga que está participando e como isso poderá ajudá-lo a atingir essa meta.

Separamos alguns vídeos que podem te ajudar a responder algumas perguntas citadas acima:

https://www.napratica.org.br/entrevista-de-emprego-guia-completo/

Se prepare para respondê-las bem ;) 

O DIA DA ENTREVISTA

 

Como falado anteriormente, chegue pelo menos de 15 a 20 minutos antes. Use roupas que não chamem a atenção (cores sóbrias), sempre se vista de maneira adequada. Se possível, vá com roupas socias; caso não tenha, o traje esporte fino será a melhor opção. Seja sincero nas suas resposta e não minta na entrevista, seja sempre verdadeiro e objetivo. Alguns entrevistadores deixam que os entrevistados façam perguntas no final da entrevista, então essa é sua chance de fazer uma ou duas perguntas sobre a empresa. "Talvez essa seja sua grande chance de mostrar que é diferente, fuja de perguntas padrão sobre salário e benefícios (apesar disso ser importante, mas pense se esse é o momento de abordar esses temas) e prepare perguntas inteligentes (e sinceras)" diz Flavio Valiati. Você também pode explorar algo que não ficou claro ou, se achar importante, compartilhar uma experiência que não teve oportunidade de compartilhar durante.

Em um bate papo com Tatiana Sereno (Diretora de RH na Diageo), ela comenta sobre o grande erro dos entrevistados é se referir negativamente sobre suas experiências passadas: "Esse é um erro que muitos profissionais inclusive seniores cometem [...], como é que a gente trás da experiência ruim o aprendizado que você teve." Ela finaliza dizendo: "Sempre trazer um aprendizado que você teve de uma maneira mais positiva." Tenha muito cuidado ao citar suas experiências negativas que você teve no passado, isso pode te prejudicar em uma conversa com o recrutador. Lembre-se de comentar como essa experiência te ajudou no seu desenvolvimento profissional, ou até mesmo pessoal. Veja um pouco mais dessa conversa no vídeo abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=Et9luG2FhBQ

Como gerar uma boa impressão no primeiro contato com recrutador?

 

Tão importante quanto o processo seletivo, ou a entrevista em si é a forma como nos preparamos para se inscrever na vaga que temos em mente.

Já parou para pensar no que é uma carta de apresentação? Esse método de aproach é um meio utilizado para "quebrar o gelo" com o recrutador, inicial seu pitching pessoal.

 

Hoje em dia, da mesma forma que as ditas hard skills (habilidades técnicas, como uso de uma ferramenta, ou uma formação específica) é necessário para a maioria das profissões o soft skills. Segundo o Portal Edools, as soft skills são: 

 

"As competências que competem a personalidade e comportamento do profissional. Envolvem aptidões mentais, emocionais e sociais. Podemos dizer que são habilidades particulares, pois nascem de acordo com as experiências, cultura, criação e educação de cada pessoa, entre outros fatores."

 

(Link da matéria: https://www.edools.com/soft-skills/

 

Mas afinal de contas, porque estamos falando dessas habilidades? Tanto o Vamos Subir quanto boa parte das grandes empresas entendem que o perfil mais adequado para o início de carreira são das pessoas que fazem acontecer, e que tenham atitudes positivas e compartilhem boas práticas (give get).

Por isso o soft skills pode ser uma forma interessante chamar a atenção de possíveis recrutadores, pois é uma porta de entrada do RH da empresa com o candidato. Uma forma humana de iniciar a interação e assim facilitar a comunicação durante o processo.

 

Muitos sites hoje em dia como InfoJobs, Catho, Indeed, ou sites internos das empresas solicitam do candidato uma carta de apresentação. 

Nesta carta você não precisa ser muito criterioso, mas contactar o Recrutador (ou RH da empresa) e informar de seu desejo em participar do processo seletivo para a vaga. Lembre-se que erros de gramática, concordância tanto na carta quanto no currículo.

APÓS A ENTREVISTA

 

No dia seguinte ou no mesmo dia, uma a três horas após a entrevista, envie um e-mail para o recrutador agradecendo a oportunidade e demonstrando interesse na vaga. "Obrigado pela oportunidade de conversarmos, foi ótimo entender um pouco mais da oportunidade, empresa e pelos pontos A, B e C que você mais gostou da conversa".  Se você não receber um retorno e feedback até a data informada e proposta pela empresa, envie e-mail solicitando um feedback. Não mande e-mail antes disso para o recrutador, seja sábio e paciente. Muitos candidatos são descartados logo após a primeira conversa não serem ansiosos demais. Jamais mande mensagem no WhatsApp, Facebook ou qualquer outro canal foram o e-mail (ou Linkedin se houver abertura para isso. 

O Pós entrevista incluí o FEEDBACK, você sabe lidar com ele?

“Feedback é um processo de alimentação que ocorre através do fornecimento de informações críticas para o ajuste de desempenho e performance de uma pessoa.”

 

- Carlos Hidsdorf (O que é Feedback – Portal Administradores.com - https://administradores.com.br/artigos/o-que-e-feedback)

 

 

Provavelmente você deve se recordar de uma (ou mais vezes) que seus pais, familiares, professores ou pessoas de confiança lhe deram um comentário positivo, ou negativo sobre alguma atitude, ou ação que você fez. Lembra-se de algum?

 

Com este pensamento em mente, imagine o poder que este comentário teve em sua vida, como isso te fez repensar seu estilo de vida. Pense nas consequências boas que você percebeu ao seguir o determinado conselho, assim como nos momentos que você deixou de segui-los e as lições de vida que pôde aprender com as experiências que viveu.

Provavelmente, você já percebeu que nossa vida é uma grande escola, onde em muitos momentos aprendemos a teoria e a todo o momento somos testados e avaliados. Assim como se sucede na vida pessoal, o processo de entrevista de emprego trata-se de uma sala de aula, pois, não significa que você foi selecionado para uma segunda fase, ou foi rejeitado(a) logo de primeira que tudo é uma verdade absoluta.

Como dito por Tatiana Sereno, o Feedback é uma ferramenta essencial para entendermos nossos pontos positivos, assim como nossos pontos negativos em um processo seletivo. Muitas vezes, achamos que somos a pessoa perfeita para aquela “vaga dos sonhos”, mas nos faltam muitas vezes alguns atributos (técnicos, ou pessoais) que não nos qualificam para tal.

Independente de um resultado, o que temos que ter em mente é:

1 – Se eu não conseguir o emprego (ou promoção) dos sonhos, não é o fim do mundo, e não significa que você é um profissional ruim;

2 – Os comentários de um recrutador são valiosos, pois contém nossos pontos fortes e pontos a melhorar que poderão nos capacitar em um processo futuro;

3 – Processos seletivos são a “prova da escola” no que se diz respeito ao aprendizado pessoal, ou seja, em determinadas situações você irá ter um saldo positivo, ou não. Isso dependerá única e exclusivamente de você e de seu esforço e atitudes.

Provavelmente ao realizar uma prova na escola (ou universidade), você já deve ter sentido um frio na barriga, um arrepio na espinha, uma dor de estômago que fez com que você mesmo que por um segundo se questionasse se toda a preparação feita para aquela avaliação valeu a pena, e se seria aprovado(a), ou não.

 

A carga de preocupação que levamos em nosso ombro parece muito pesada e pode ser capaz de muitas vezes tirar o sono, apetite e ânimo.

 

Mas quando descobrimos que fomos aprovados, parece que todo aquele sacrifício e horas investidas valeram a pena, e que você foi recompensado com aquilo que você mais queria naquele momento. Neste segmento de Trilhas, já conversamos com vocês sobre como preparar-se antes, durante e depois de uma entrevista. No entanto, tão importante quanto uma entrevista, é o processo seletivo adotado até a aprovação do candidato(a).

 

Existem diversas formas e maneiras que uma empresa pode gerenciar um processo seletivo de contratação, ou seja, uns podem ser mais rápidos, outros podem ser mais demorados; alguns demandam uma carga de tempo na preparação de um “case”, ou logo após a entrevista com gestor (ou recrutador) sua carteira já pode ser assinada. 

 

Independente de qual maneira o processo for conduzido, uma das “verdades” é que sempre teremos essa incerteza e frio na barriga, semelhante a época de provas na escola. E você pode estar se perguntando, qual fórmula especial que o Vamos Subir vai me passar que vai me fazer sentir mais à vontade durante um processo seletivo? Qual a yoga, meditação, mantra, oração e reza que os produtores de conteúdo usam e que é infalível?

 

Bem jovem, a resposta para esta e outras questões é que não temos fórmula para isso. A razão é simples, cada processo é um, e cada pessoa é um indivíduo. O que poderá diferenciar o autor deste artigo, do Flávio (criador do projeto) são características e experiência. 

Eu

Ainda mais que muitos que leem nossas postagens, ou dão like e compartilham nossas publicações estão na busca do primeiro emprego, ou ainda não tem muita vivência no mercado de trabalho competitivo. 

 

Independente se você está começando agora, ou já está nessa estrada o importante é ter a inteligência emocional necessária para lidar com a pressão e contratempos que um processo seletivo pode exercer em nossa vida diária.

Hoje em dia mais do que nunca, essa expressão mágica é essencial não apenas para a vida corporativa, mas também para o cotidiano. 

 

De acordo com a SBIE (Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional), este conceito se define por: 

 

“Inteligência Emocional é a capacidade de administrar as próprias emoções e usá-las a seu favor, além de compreender as emoções das outras pessoas, construindo relações saudáveis, fazendo escolhas conscientes e adquirindo uma melhor qualidade de vida.”

 

Isso pode significa que uma vez que eu não estou alinhado com as expectativas, ou realidade o baque de um possível processo seletivo poderá ser muito grande nesta fase de tomadas de decisão.

 

Entender que o primeiro (ou novo) emprego não é algo eterno é essencial para o processo de maturação das ideias e construir o mindset necessário que você precisa para aquela determinada vaga e o que a empresa espera de você. Hoje em dia somos muito volúveis aos acontecimentos em nosso redor e por conta desse emaranhado de informações queremos o quanto antes ser mais informados e bem desenvolvidos que o nosso companheiro ao lado.

 

Pensar e agir que você está em uma competição extrema para uma vaga (ou cargo) não é necessariamente uma coisa boa, mas no fim do dia pode se tornar uma pedra de tropeço te deixando nervoso, ansioso ou até mesmo pilhado com os eventos que estão acontecendo em nossa vida. 

 

Atualmente muito se fala sobre qualidade de vida e métodos que podem nos tirar do desconforto de esperar um resultado de uma seletiva (ou qualquer outra espera na vida).  São eles: 

- Ter um planejamento com metas específicas (ou seja, um plano A,B,C… e por aí vai). Muitas vezes pode ser difícil pensar em metas quando não temos uma base, mas procurar encontrar o que vai te dar um norte é essencial para o processo;

 

- Procurar organizar seu ambiente físico, ou seja, seu quarto, sua sala de trabalho, sua mesa, etc. Um dos processos utilizados pelas empresas para um foco maior e um ar mais clean é o 5S (Referência: https://5s.com.br/2/o-que-e-5s.php);

 

- Evitar gatilhos, ou experiências que vão nos sobrecarregar. Obviamente não podemos bloquear todos os contatos do WhatsApp, ou redes sociais. E nem evitar comentários e feedback de chefes, colegas de trabalho (escola e universidade), familiares, etc, mas focar naquilo que você quer e correr atrás. Isso envolve também sessões de terapia.

 

- Exercícios regulares. Não precisa ser uma academia, mas, aquecimentos, exercício laboral, caminhadas em geral são benéficos para o funcionamento do corpo humano e ajudam nossa mente na organização das ideias. 

 

O processo seletivo de uma vaga de emprego tem seus lados bons e lados considerados ruins, mas isso no final do dia determinará se você é o profissional que vai ajudar a empresa em suas metas diárias, mensais e anuais.

 

Lembre-se sempre que se você não conseguir, não desanime! Novas oportunidades aparecerão se você se preparar e ter atitude positiva.

 

E aí? Gostou dessas dicas? Comente o que mais você faz para se preparar para uma entrevista de emprego.