Siga-nos nas redes sociais!

©2020 Vamos Subir - Todos os direitos reservado

Vamos Subir

CNPJ 35.234.052/0001-07

Rua dos Pinheiros 870, Pinheiros, São Paulo, 05422-001

oi@vamossubir.com.br

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

AGENDA DE EVENTOS

ESCOLHA DE CARREIRA

Como eu escolho a minha carreira profissional? Este sem sombra de dúvidas, é um tópico muito importante na vida de qualquer pessoa em qualquer faixa etária de vida. Mas, principalmente para o jovem que não teve muita orientação pode ser algo amedrontador. Por isso, nós do Vamos Subir, separamos algumas dicas essenciais do que você pode fazer antes de tomar esta decisão que vai afetar o seu futuro. 

Saber o que se quer fazer para o resto da sua vida (ou pelo menos por um período de tempo) é uma decisão muito importante e deve ser pensado e ponderado para tomarmos o rumo certo. Vale ressaltar que a escolha de uma carreira não se baseia apenas nos ganhos futuros, fama e sucesso profissional. De fato, pontos como autossuficiência financeira e conexões são assuntos constantes na vida de um profissional emergente no mar de possibilidades. No entanto, diversas pesquisas ilustram que diversos profissionais que procuram essas razões na “carreira ideal” acabam se frustrando e não rendendo tudo aquilo que é esperado em suas respectivas áreas de atuação.

A tomada dessa decisão nem sempre é um caminho reto, mas, com o auxílio de algumas ferramentas e dicas de pessoas que entendem do assunto, você pode encontrar a(s) resposta(s) para este questionamento tão importante nessa fase da vida.

De acordo com o portal Mundo Vestibular, aqui estão alguns pontos que devem ser considerados:

1)  Saber quem eu sou: Precisamos nos conhecer para entender quais são os nossos objetivos de vida;

2)  Interesses: Saber o que mais gostamos e o que nos deixa feliz é algo muito importante;

3)  Habilidades: Qual a coisa que eu sou fera, tenho habilidade e sei fazer de melhor;

4)  Teste vocacionais: Procuro fazer um teste vocacional para ter algumas ideias e um start para começar a

pesquisar sobre algumas profissões (segue alguns testes grátis: https://www.guiadacarreira.com.br/teste-vocacional/ e https://www.mundovestibular.com.br/simulados/teste-vocacional);

5)  Opções de carreira: Faça uma lista e reflita em quais carreiras você se destacaria;

6)  Pesquise: Depois de escolher a carreira, faça uma boa pesquisa para entender um pouco mais das áreas

desejadas;

7) Mercado de trabalho: Entenda como o mercado de trabalho se comporta com a carreira que você escolheu.

Para as informações mais completas deste artigo, acesse: https://www.mundovestibular.com.br/cursos/como-escolher- sua-profissao

Com todas essas informações em mãos, tente entender melhor sobre a carreira que escolheu, converse com pessoas que já atuam na área e tire suas dúvidas. Utilize esse mesmo método e pesquise também sobre qual a melhor faculdade para a carreira escolhida e se sinta muito seguro da decisão que está tomando.

No vídeo abaixo, Tatiana Sereno comenta um pouco de como ela escolheu sua carreira:

Tatiana Sereno - Diageo - Como o jovem pode descobrir seu propósito e aptidão?

Considerando algumas das ideias expostas por Tatiana Serena no vídeo acima, poderíamos destacar as seguintes:

 

“No que sou bom?” “Será que posso compartilhar o que eu sei com meus colegas de trabalho?”

 

Porque afinal de contas quão rápido podem vir essas reflexões em sua mente, mudam as tendências e o mercado de trabalho, com novos conceitos e formas de trabalhar. E talvez, profissões que existiam há muito tempo percam sua influência, ou simplesmente deixem de existir.

Por isso, é sempre bom manter-se conectado e alinhado com essas novidades que não param de chegar. Pesquisas rápidas em diversos sites como: Enem Virtual, Mundo Vestibular, Guia de Carreira e Na Prática, revelam que a área de tecnologia tem um grande índice de contratações por conta das diversas inovações que são lançadas.

E quando falamos em tecnologia, não se trata apenas da pessoa que vai ficar programando o dia inteiro, mas em outros ramos como:

● Customer experience (Trabalho de sales, ou operation representative que visam o melhor atendimento possível para o cliente ao comprar/utilizar um produto e/ou plataforma de tecnologia);

● Content development (Trabalhando com criação de conteúdos internos, ou externos de uma empresa);

● Marketing, branding and engagement (Análises de KPI’s, ou criação de conteúdo e campanhas que visam a expansão do negócio e busca de novos públicos);

● Analysis, Quality and Assurance (Análise de dados internos que podem nortear novas oportunidades para o negócio, produção de insights e reports); ● Facilities (Diversas gestões voltadas à experiência do colaborador dentro do ambiente da empresa);

● O “famoso” IT que nunca fica velho (Criação de redes e sistemas, Cloud, aplicativos e plataformas de tecnologia).

 

Levando em conta que não apenas áreas de tecnologia estarão em plena expansão em um futuro não tão muito distante, mas outras ocupações como:

 

● Gestor de Ecorrelações;

● Gestor de resíduos, engenheiro ambiental/ civil/ petróleo e gás;

● Conselheiro de aposentadoria;

● Gestor de qualidade de vida;

● Gestor de inovação;

● Médico;

● Biotecnologo;

● Autonomo.

 

Fatores que ajudam na pesquisa são indicadores de sua região. Por exemplo, se você quer trabalhar com agricultura, certamente, a cidade de São Paulo não é o local mais adequado para esse tipo de atuação.

Assim como pensar fora da caixa, não faz mal.

 

Confira o conteúdo do portal NaPrática.org entitulado “12 profissões em alta até 2022, segundo o Fórum Econômico Mundial” para mais ideias do que você pode fazer:

 https://www.napratica.org.br/profissoes-em-alta-forum-economico/ 

Comente conosco em nossas redes sociais o que você fez para conseguir encontrar a área de atuação que é a sua cara? Tem algo que podemos adicionar? Lembre-se que este conteúdo também é seu, por isso, foco na pesquisa e #VamosSubir!

 

Segundo Wilson Lima (Head de Recursos Humanos da Youse Seguros) em entrevista para o Vamos Subir deu um conselho fundamental sobre a escolha de carreira, segundo ele: “É fundamental você primeiro olhar o que você gosta, mas fazer uma conexão com o mercado de trabalho”. Ele continua: “pode ser que você goste muito de fazer algo em que a empregabilidade é baixa, em que a remuneração média para esse tipo de cargo também é baixa [obviamente] não apenas olhando para o dinheiro, mas o dinheiro é algo importante[...] é olhar algo que você gosta bastante, mas consequentemente analisar como esse mercado de trabalho se comporta e quais são as perspectivas dele”.

 

Concordamos plenamente com o posicionamento do Wilson, pois sabemos que dinheiro não é tudo para uma carreira de sucesso (vide Vamos Subir Trilhas Descoberta do Propósito),mas, a falta de uma autossuficiência financeira adequada gera instabilidade em diversos campos essenciais de nossas vidas. Devemos considerar também alguns fatores necessários.

 

Hoje em dia estamos vivenciando uma época de escassez no mesmo mercado de trabalho citado pelo Wilson. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de desocupação foi fechada em 12,3%, somando um total de 13 milhões de pessoas (Fonte: Agência de notícias IBGE). Sim é um dado preocupante, pois hoje você e eu conhecemos alguém (ou nós mesmos) que está nessa situação. Mas, como missão do Vamos Subir: “Nós [ajudamos] jovens em início de carreira a ter mais sucesso por meio da mudança de atitude e comportamentos!”

E como incentivamos anteriormente nesse segmento do Trilhas sobre Escolha de Carreira, vamos pensar um pouco fora da caixa? O que mais você deve fazer? Acreditamos e torcemos muito para que você possa encontrar o SEU lugar em uma empresa (independente do tamanho), mas, trazemos à visibilidade outras opções além do habitual mercado de trabalho CLT, o mercado autônomo.

 

Já pensou no que esse tipo de mercado pode agregar à sua carreira? Segundo o artigo do Vamos Subir intitulado: “O mercado de trabalho não é para mim?” (Por: Phillipe Duarte Beltrani) neste tipo de mercado, você constrói três pontos:

 

● Autoconhecimento,

● Autodesenvolvimento,

● Resiliência.

 

Muitas vezes suas realização profissional significa que você não gosta, ou não quer “trabalhar para os outros”, mas sim, ser o dono da lojinha, o chefe, líder visionário, literalmente a pessoa que não tem medo de investir individualmente em sua carreira.

 

Seguem algumas profissões autônomas que fazem parte de nosso dia a dia:

● Advogado;

● Consultor;

● Agente de Viagens

● Designer gráfico;

● Analista de marketing e mídias digitais

● Cientista ou Engenheiro de dados

● Empreendedor Digital

 

Entre outras, vide: Conheça 15 profissões autônomas que são lucrativas, pelo ViaCarreira.

 

De acordo com o Blog Xerpa em ser artigo “Vale a pena contratar profissionais autônomos?” define que: “profissionais autônomos são aqueles que prestam serviços sem ter vínculo empregatício com a empresa. Geralmente, esse tipo de trabalhador é contratado para executar tarefas específicas e pontuais, em situações em que não vale a pena para a companhia buscar um funcionário efetivo.”