Vamos trazer semanalmente uma série de artigos analisando o momento atual em que vivemos e trazendo análises comportamentais e ferramentas que podem ser utilizadas para superar a crise, seja você empregado ou empregador.

 

Nesse primeiro artigo vamos abordar a crise pela ótica das empresas, vamos tentar entender o que um gestor/empreendedor pensa ou faz em um momento de crise como esse.

 

Contamos nesse artigo com algumas questões trazidas pelo nosso parceiro do Vamos Subir Wendel Henrique C. de Oliveira que é empreendedor e cuida de grande parte da operação de nossa empresa.

 

 

 

  1. Avaliação da situação e elaboração de um plano de contingência

 

No momento inicial é necessário que as empresas avaliem os impactos diretos causados da retração na economia junto ao negócio. Sejam por meio dos clientes, stakeholders e demais envolvidos nos processos das cadeias desde a produção até a entrega ao consumidor final. Passada esta reflexão, é necessário formatar um comitê interno para gestão desta crise internamente e elaboração de um plano de contingência com a finalidade de minimizar os impactos.

 

  2. Revisão de contratos geradores de receitas e despesas

 

- Contratos geradores de receita:

Necessário garantir que estes se mantenham para que a o faturamento não caia, ainda que os clientes estejam em momento de revisão de custos. Analisar medidas para tornar a oferta mais atrativa e flexibilizações possíveis a fim de preservar a receita ou até mesmo antecipá-la.

 

- Contratos geradores de despesas:

Necessário manter apenas as despesas de fornecedores vitais para a continuidade do negócio. Analisar possíveis reduções nos custos, renegociações dos contratos com diminuição de margem e/ou extensão nos prazos de pagamento.

 

 3. Revisão orçamentária e acompanhamento do caixa

 

O cenário em períodos de grandes crises exige que a cautela e enfrentamento seja condizente com o tamanho do problema. Com isso, a empresa deve considerar grandes perdas de faturamento para a revisão orçamentária e da projeção de recebíveis nos próximos tempos.Inicialmente deve-se estabelecer o valor mínimo de caixa necessário para garantir que a operação aconteça sem prejudicar a qualidade ou prazo dos entregáveis. O caixa deverá garantir o maior período possível para que a empresa continue atuando dentro dos novos limites estabelecidos. Após o estudo do caixa, necessário verificar medidas de crédito como antecipação de recebíveis, financiamentos e renegociações para solidificar ainda mais este caixa.

 

 4. Renegociação de despesas e avaliação do quadro de funcionários

 

A renegociação de dívidas deverá ser criteriosamente avaliada para que as despesas se enquadrem no valor mínimo de gastos estipulado para a sequência da empresa. Com isso, torna-se necessário reavaliar impostos e valores junto aos fornecedores. Caso ainda assim as receitas e as despesas projetadas não estejam em harmonia, será necessário reavaliar o time de forma que não comprometa o trabalho a ser entregue e ainda assim, preserve os melhores colaboradores. Outra medida a ser considerada, é o acordo coletivo com os funcionários ou até mesmo a antecipação de férias conforme orientação do corpo jurídico e contábil da empresa.

 

 5.Mudança de regime de trabalho

 

Alteração das práticas na empresa a fim de reduzir os riscos de contaminação no ambiente de trabalho. Conforme o ramo de atuação da empresa, necessário implementar medidas que garantam o distanciamento e a higiene nos postos de trabalho. Caso a atuação da empresa permita a transição para o home office ou tele trabalho, seria esta a melhor alternativa pois exime a empresa de qualquer risco de contaminação entre os funcionários. Esta medida exigirá um alinhamento próximo dos gestores com os seus colaboradores diariamente para que a qualidade e eficiência do trabalho seja garantida.

 

 6. Alinhamento dos novos objetivos da empresa com o time

 

Após as diversas alterações e adaptações necessárias devido ao momento, necessária uma nova interação entre os times e adoção de outras ferramentas mais modernas de trabalho. Além disso, necessária uma alteração cultural da empresa para garantir que os funcionários estejam envolvidos em busca da estabilização e retomada da empresa no seu fluxo normal de recebimentos e entregas.

 

Muito bom, entendemos como uma empresa pensa ou age, agora podemos aplicar o mesmo pensamento em nossa vida pessoal? Vamos mudar um pouco os tópicos e avaliar.

 

- Avaliação da situação e elaboração de um plano de contingência

 

 Podemos e devemos nos sentar e avaliar a situação em que vivemos atualmente, nosso conhecimento, carreira e cargos atuais estão garantidos? Já perdi meu emprego? Qual o próximo passo, são perguntas que precisamos responder agora, mas a mais importante é " como vou sair dessa?" Sempre escutei que ou somos parte do problema, ou somos parte da solução. 

 

Esse link vai te ajudar a fazer uma avaliação rápida da sua situação atual relativa a seu emprego, basta clicar AQUI!

 

 

 

 

 



 

- Revisão de contratos geradores de receitas e despesas

 

Nesse ponto podemos tomar algumas decisões importantes, como é seu relacionamento em seu ambiente de trabalho? Talvez seja essa hora de colocar as cartas na mesa e negociar caso seu salário ou emprego estejam comprometidos, e o mais importante formular um plano para gerar novas receitas.
Ser autossuficiente não está ligado ao quanto se ganha e sim ao quanto se gastam nesse momento tudo aquilo que não é vital pode ser reconsiderado para que  exista um maior fôlego no futuro.

 

 

-Revisão orçamentária e acompanhamento do caixa

 

Aqui é onde o filho chora e a mãe não vê.

Muitos ainda levam a vida sem planejamento, nesse momento é importante PARAR e avaliar, as vezes diariamente, semanalmente... o importante é estabelecer um plano e um dia da prestação de contas a si mesmo e sua família.

 

 

Renegociação de despesas e avaliação do quadro de funcionários

 

 Na crise você já ligou pro banco? Se a resposta foi não quero te dizer que talvez ela mude em poucos dias. Os bancos querem receber, portanto estão dispostos a renegociar, utilize seu bom relacionamento e credibilidade para acertar contas, diminuir juros e prestações.

 

 

- Mudança de regime de trabalho

 

Quero chamar isso de... mudança de hábitos. Se encaixa melhor. Nesse momento você precisa se adequar a algo, uma nova realidade. Como? Não sei. Talvez Home Office seja a solução... talvez um novo emprego? A questão é, você precisa valer mais no mercado hoje do que você valia ontem!

 

-Alinhamento dos novos objetivos da empresa com o time

 

 Seu time é sua família, seja ela composta por você dois tamanduás e um golfinho ou filhos, esposa, marido enfim... como você preferir, esse é o momento de sentar e alinhar prioridades. Entender o que é essencial para cada um e o que é vital para manter a máquina andando. Essa missão não é fácil, mas traz satisfação quando realizada com resiliência.

 

 

Gostou do artigo? Compartilhe!

https://www.linkedin.com/in/philippeduartebeltrani/ 

 

https://www.linkedin.com/in/wendel-henrique

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga-nos nas redes sociais!

©2020 Vamos Subir - Todos os direitos reservado

Vamos Subir

CNPJ 35.234.052/0001-07

Rua dos Pinheiros 870, Pinheiros, São Paulo, 05422-001

oi@vamossubir.com.br

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social